Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Viver é um gabarito

Saudações a todos.

Estive um tempo sem postar, mas isso não quis dizer que ia ser definitivo não é ? E nem que eu ia parar de ter minhas reflexões diárias. Bom eis aqui uma das que eu tive essa semana:

"Quando vamos fazer uma prova. Qualquer tipo de prova, temos que estudar... Ora é uma coisa lógica! Se você não estudar, você não vai ter conhecimento suficiente para se adequar ao conteúdo da mesma. Pois é. Esses dias andei assistindo um filme relacionado a escolhas, cujo o personagem principal queria descobrir sua personalidade e tinha 5 opções diferentes:
a) Valentão
b) Nerd
c) Popular
d) Emo (excluído)
e) Ele mesmo.

Ora, você deve estar pensando: "Obviamente eu escolheria ser eu mesmo!" mas, no filme o personagem via em cada opção um ponto positivo e ficava indeciso na escolha. Até que ele decidiu virar Valentão. Todos os dias ele esmurrava alguém até o medo ruir as mentes escolares, até cada um pensar em dar o dinheiro do lanche quando o visse, mas no meio da história havia uma garota no qual ele era apaixonado e a pose de Valentão despertava tanto medo nela, que a garota chegava a correr quando cruzava seu olhar com o dele.

Então ele largou a vida de durão, e tentou ser o "Nerd". Sempre tirava notas excelentes, os professores passaram a amar ele. Chegou até a ser convidado para um intercâmbio, mas seus amigos ficaram fazendo hora. Zombavam e zombavam... até a própria garota zombou!

Lá se vai o "Nerd" e entra em ação " O Popular ". Agora todas as garotas do colégio queriam ficar com ele, inclusive a menina no qual ele era apaixonado. E claro, ele foi se aproveitando da situação e ficou com várias garotas. PORÉM, a que mais importava achou ridícula aquela atitude e reclamou com ele. Nossa... foi uma grande decepção. Tão grande que o fez largar a popularidade pra virar EMO.

Ele podia se expressar das formas mais bizarras do mundo, mas mesmo assim era entendido e ao mesmo tempo rejeitado pela sua estranheza ou esquisitisse. A única opção restante foi ser ele mesmo. Um cara estudioso, mas romântico, amigável e cativável. Isso sim, despertou tanto o interesse dos amigos, quanto dos professores e principalmente, da garota.

Conclusão: A vida é como um gabarito: Você tem suas escolhas, mas apenas uma é correta. A que vai te levar para o lado bom da história. Não que você tenha que chutar as escolhas como fez o personagem do filme, mas sim que você entenda a questão a ser vivenciada, estude-a e aprenda para que assim a vivência se torne mais agradável.

Pois é.... uma boa noite a todos! ;*

5 comentários:

  1. Oi, Débora!
    Gostei do nosso bate-papo no acampamento e resolvi passar aqui no seu blog.
    Olha... gostei do que li aqui!
    Parabéns e continue compartilhando suas idéias!
    Já estou te seguindo!

    Abração!
    Dominuis Tecum!

    Wendel Cavalcante
    www.estradasou.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Minha linda, eu já te admirava muito e agora passei a ser sua fã número 1.

    Você é muito inteligente mocinha. Tem um futuro brilhante.

    Deus te abençoe e te conserve assim.

    Abraços,

    Val Souza

    ResponderExcluir
  3. Pois é, só seremos verdadeiramente felizes se escolhermos a opção por sermos nós mesmos, mas discordo de que nossa vida seja um gabarito...
    Seu post me lembrou uma frase que eu tinha feito, um ano atrás:
    "Na vida, Deus nos dá 2 opções de escolha. Na primeira temos o céu e na outra, temos...
    o céu também!
    Só que muitos se esquecem de marcar o gabarito."

    abraços!

    ResponderExcluir
  4. Olá, Débora!
    Orgulhoso pelo seu texto!
    Como escreve bem!
    parabéns, continue escrevendo e compartilhando!
    Abraço

    ResponderExcluir
  5. Uau, obrigada mesmo geente, fico muito grata pelos elogios e opiniões aqui expressas.
    Abraços a todos! =)

    ResponderExcluir